Links para arquivar #1

Inauguro hoje uma nova seção deste blog. É que agora entendi que a tradicional Linkagem merece um nome próprio. A inspiração vem da ideia de que os links ficam arquivados aqui no blog, para você relembrar quando quiser. Acredito que a periodicidade será quinzenal. Feita esta introdução, vamos aos links.

 
A Thais do Vida Organizada está desenvolvendo o tema “Aprenda” neste mês de fevereiro no blog dela.
 
Entre os textos que ela publicou sobre estudos, eis os que pensei em compartilhar aqui:
Universidade pessoal – reflexões de uma pessoa autodidataTenho um pouco de autodidata, embora não passe perto da sistematização de conhecimentos que a Thais alcança. Então esse texto é uma inspiração. Acredito que todo profissional de secretariado deve sempre se atualizar e buscar novos conhecimentos, ainda que não seja no estudo formal, ligado a uma instituição de ensino.
Como se organizar para estudar em uma faculdade à distância. Esse me chamou a atenção porque de vez em quando um leitor me pede dica sobre como estudar à distância e sobre cursos de pós-graduação em secretariado.
Falando neste mesmo tema (“Aprenda”), o blog Efetividade publicou o texto Não estude mais, estude melhor, que também vale o clique.
Lendo tudo isso, veio-me também à mente o texto Como estudar – as técnicas que eu relembrei… 
Bom final de semana, bons estudos (sempre)!

Use este blog com moderação

No próximo mês este blog vai comemorar 7 anos de existência. Já aproveitando a ocasião, gostaria de fazer algumas observações, só para ter certeza de que deixei claras as coisas para você que me lê. Afinal, considerando que o número de seguidores do blog tem aumentado nos últimos 2 anos, deve ter muita gente nova me lendo. (Aliás, agradeço por isto e convido quem ainda não se cadastrou para o fazer, na “caixinha” indicada no alto da página à direita, na home do blog.)

Tenho recebido algumas mensagens no e-mail do blog perguntando sucintamente: “Como faço para entrar no curso?”. Fora a necessidade de quem pergunta deixar claro de qual curso está falando, em qual instituição, o que me preocupa é que estes e outros e-mails parecidos, têm me levado a pensar que quem lê o blog por alto, a partir do resultado de uma busca por “secretariado executivo” no Google, pode estar achando que eu sou responsável por alguma instituição de ensino ou curso de secretariado executivo. Então, escrevo aqui com todas as letras: Eu não o sou. Não sou dona de faculdade, nem coordenadora de curso, nada disso. A intenção de ter este blog é apenas de aumentar o fluxo de informações sobre a profissão (e cursos) de secretariado executivo na internet. E compartilhar algumas reflexões afins à nossa vida profissional.

Esclareço ainda: Embora este blog seja sobre a profissão de secretariado executivo (a minha profissão), ainda é um blog. Não é fruto de uma pesquisa longa, de uma autoridade no assunto. Eu sempre tento balizar meus textos com informações que li em livros, em outros blogs, ou ouvi de outros profissionais. Ainda assim, nunca pedi ou autorizei que se usasse o que escrevo como verdade única e absoluta. No máximo, quem me lê deve ter esses textos como guia, para uma pesquisa inicial sobre instituições que oferecem o curso de graduação em secretariado executivo e sobre o dia-a-dia da profissão.

Sei que tudo que eu falei pode parecer óbvio para alguns, mas sabemos que na comunicação a repetição e a redundância muitas vezes previne mal-entendidos.

Até o próximo texto!

Um robô para o blog secretariado executivo

Acompanho o pessoal do dailypost.wordpress.com e as dicas que dão para quem tem blogs. Um dia, despretensiosamente, enviei-lhes uma sugestão de “prompt” (tema para texto, numa tradução aproximada). Não é que eles resolveram divulgá-lo para os outros blogueiros que os acompanham? Pois foi publicado assim:

“Congrats — you’ve been handed a robot whose sole job is to relieve you of one chore, job, or responsibility you particularly hate. What is it?” (Veja no Dailypost)
(Parabéns – você ganhou um robô cujo único trabalho é desempenhar no seu lugar uma tarefa, trabalho ou responsabilidade que você odeia. Qual seria?)

Então, agora, respondo o prompt que eu mesma sugeri.

Este robô faria para mim a parte de layout/design do blog. Como já disse em um outro texto, minha capacidade de apreciar o belo não é acompanhada de habilidades técnicas para designer, nem para fotografia… Assim, vou levando esse blog majoritariamente com texto, sem muita “decoração”.

Este robô montaria um logotipo para mim, talvez com inspiração num carimbo, com “secretariado” no centro e a palavra “executivo” em volta. Ele repaginaria o design do blog, mantendo a ideia minimalista, mas trazendo um pouco mais de personalidade. E ilustraria cada post com uma foto muito bem pensada para ele. Não seria um sonho?

Sim, voltando à realidade, eu sei que poderia contratar alguém para fazer isso, ou fazer um intensivão no ótimo Canva. Mas, enquanto não alcanço esses passos realistas, entro na brincadeira proposta, a do robô imaginário.

Gratidão para o gasto

Esta tem sido minha palavra de inspiração este ano: gratidão. Tive essa vontade de definir uma palavra para o ano no início de 2013, a partir de um texto do blog Colorida Vida. A ideia é que a palavra sirva de inspiração, de aprendizado ao longo do ano, que a gente reflita sobre ela sempre que vier à mente.

Convido você a também ser mais grato neste ano. Afinal, existem motivos práticos para exercitarmos a gratidão, como podemos ouvir nesse áudio da CBN com a Cristiane Segatto: “Os benefícios da gratidão à saúde física e mental”. Na entrevista são relatados vários estudos que comprovaram que a gratidão pode levar a pessoa a ter uma vida mais feliz, até com mais saúde física e mental. Inclusive um dos estudos relacionam claramente a gratidão ao aumento da produtividade. Lembrando que é possível se tornar uma pessoa mais grata, através de pequenos exercícios, desde falar “obrigada”, “obrigado”, de forma mais consciente, até fazer um diário com os motivos de gratidão do cotidiano.

Então que tal agradecer ao colega que pegou para você o clip que deixou cair, ou que puxou a cadeira para você se sentar no início da reunião; ao prestador de serviço que lhe atendeu prontamente, ao cliente que aguardou ao telefone? Que tal fazer isso de forma consciente, não-automática, só porque faz parte da boa educação?

Para finalizar,  vale um adendo: A minha gratidão é para Deus. Eu creio em um Deus, aquele que é onipotente, onipresente e onisciente, entre outras qualidades descritas na Bíblia. Não vou me alongar nesse assunto, porque não é o foco do blog. Só queria caracterizar melhor a quem presto a minha gratidão. Você que me lê, fique à vontade para se inspirar na atitude de gratidão e entregá-la no altar que preferir. ;)

Até o próximo post!